quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Mudei de idéia - I changed my mind

Não se preocupe, a organização continua! :) Mas mudei de idéia quanto à sequência/abordagem. Antes eu tinha decidido arrumar tudo que tinha em caixas e depois rearrumar o espaço em si. Mas pela experiência que tive com os tecidos, vi que não ia dar certo. 
Don't worry, the organization quest continues! :) But I changed my mind as for the sequence/approach. Before, I had decided to organize all the stuff I have in their boxes and then reorganize the room itself. But from the experience I had with the fabrics, I saw this approach wouldn't work well.

Notei que para poder organizar o que tenho de modo funcional - que para mim é até mais importante que o visual, preciso ter alguns dados objetivos antes:
1) O que tenho? Isso influencia de dois modos:
  • Pela quantidade de itens: indicam o volume ou espaço que precisam ocupar
  • Pelo tipo de itens: indicam como vou querer separá-los em categorias, que influencia muito a organização/disposição espacial.
2) O espaço que disponho para guardar cada "tipo" de item. Por exemplo: Papéis. Tenho muito? poucos? Que tamanhos? Que tipos? Vão ocupar uma caixa, uma parte de uma prateleira ou vão tomar o espaço de uma prateleira inteira?

I realized that in order to organize stuff properly and in a way that will work for me later - which is even more important than the looks, I think - I have to obtain some objective data before:
1) What do I have? This influences the organization in two ways:

  • The amount of items: they will influence the volume or space they'll occupy.
  • The kind of items: that indicates how I'll want to separate them into categories, which will influence the spacial organization/layout a lot.
2) The available space I have to keep each "kind" of item. For example: Paper: Do I have a lot? Just a few? What sizes? What kind? Will they fill a box, only part of a shelf or will they need a whole shelf?

Antes / Before
:)
After / Depois
:)
Então resolvi deixar esta etapa da organização para depois, e arrumar o layout do "bagunceliê" antes. Para isso quis usar um desses softwares de "planejamento de ambiente" que existem por aí. Testei vários. A maioria é ótima, alguns levam mais tempo que outros para acostumar a usar, uns têm mais "biblioteca" (móveis, janelas, portas, texturas, etc) para usar, uns precisam ser baixados e instalados e outros podem ser usados online. Para a maioria você encontra até vídeos tutoriais no YouTube. 
So I decided to postpone this step of the organization and tackle the room layout first. For that I decided to use one of those free "room planing" software available.  I tested several. Most are great, some have a steeper learning curve than others, some have a more extensive "library" (furniture, windows, doors, textures, etc) ready to use, some have to be downloaded and installed and others can be used online. For most of them you can even find tutorials on YouTube.

Escolhi o "Floor Planner", que também é oferecido como app para o Google Chrome. A versão grátis tem algumas limitações, claro. Mas escolhi por ser o único que me permitiu "entrar" no ambiente, em 3D, sem que meu computador precisasse ter uma placa de vídeo extra instalada para completar a renderização. Todos os outros precisavam da placa, senão ficam MUITO lentos, mesmo na versão online. Eu até tinha uma, mas em um dos muitos picos e quedas de energia que temos aqui, simplesmente fritou. Investi em um nobreak, que segura isso melhor, mas não "quero" comprar outra placa agora. 
My final choice was "Floor Planner", which is also offered as an app for Google Chrome. The free online version has some limitations, of course. But I chose this one because it was the only one that allowed me to render the floor plan into a 3D structure and allowed me to "enter" the room, without a need to install an additional video board to my computer. You might not need one, if you have a state-of-the-art computer. Mine is a dual-core. I used to have a video board, but one of those frequent blackouts "fried" it. I chose to invest money in a nobreak instead of a new video board. Anyhow, this is what I got:

Disposição original
Original Layout
Como planejei -já mudei um pouquinho, rsrs...
The way I planned it - I've already changed a little, :)
Aí seguiu-se a mudança em si. Arrastei móvel prá lá, outros prá cá. O meio do quarto ficou entulhado de caixas. Desmontei duas estantes de plástico, limpei, lixei, cortei alguns dos tubos laterais e juntei, colando tudo desta vez, duas estantes em uma. Comprei uma estante de aço, mais firme, aproveitando uma promoção que vi em uma loja por acaso. Pintei as duas estantes plásticas pretas de "branco" (ou quase isso). Na Leroy Merlin comprei uns cortes de MDF para transformar a parte interna do armário, que eu já usava e era originalmente para pendurar roupas, e instalei prateleiras lá. Isso envolveu lixar, selar e aparafusar os suportes. Também consertei o guarda-roupas que estava praticamente desmantelando, com parafusos resistentes, pregos aqui e ali.
Then I proceeded to the moving things around phase. I dragged furniture there, some other pieces here. The middle of the room was full of boxes removed from the shelves (to make them lighter). I disassembled two of my plastic storage shelves, cleaned them, sanded, shortened the side support/tubes, glued them all back together to make them more stable, joined two into only one and painted them all. I also found a good offer on a metal storage shelf and bought it. I had to assemble it myself too. I had some MDF cut for me at a large local hardware store and installed some shelves inside the "hanging" side of the wardrobe I was using. That involved sanding, sealing the wood, and gluing and screwing the supporting strips of wood in place. I also had to fix the already existing wardrobe. It was literally falling apart. Some new screws, nails, glue and it was all "brand new".

E isso tudo demorou MUITO. O que há alguns anos teria tomado um ou dois fins de semanas meus, levou semanas - por isso não escrevi antes. É que desde 2009 fui diagnosticada com Fibromialgia. Fibro-o-que? FM, para os íntimos. 
All this work took a LONG time. This is why I haven't posted anything lately. What would have taken no more than 2 weekends before, took me weeks to finish. That's because since 2009 I've been diagnosed with Fibromyalgia. Fibro-my-what? Or Fibro, as we call it...

O que os médicos sabem               Como as indústrias farmacêuticas me vêem         Como a sociedade me vê

Como meu chefe me vê                  O que meus amigos acham que me tornei              Como me sinto             

Vou aproveitar esta oportunidade e falar um pouco desta síndrome. Mais para esclarecer e divulgar o assunto, que no Brasil é vastamente ignorado e desprezado pelos médicos. Como eles não sabem o que causa, o diagnóstico é difícil - que é feito mais por eliminação de outras coisas que um diagnóstico em si - e simplesmente não tem cura (ainda), os médicos odeiam pacientes com FM. Alguns poucos reconhecem e tentam tratar, mas a verdade é que não sabem o que fazer.  Outros acham que o paciente está fingindo, é puramente psicológico ou estão é com preguiça. 
I'll now use this space to talk a little bit about this syndrome. I don't want to teach or preach or bore you, but I'm just trying to spread the awareness about this subject. It's vastly ignored and despised here in Brazil, even by doctors. As they have no idea what causes it, it's hard to diagnose - which is done mostly by eliminating other possibilities than an actual diagnose - and there is absolutely no known cure (yet), doctors in general hate to treat patients with Fibro. Very few ones do acknowledge the syndrome and even try to treat it, but the truth is that they usually don't know what to do. Other doctors tend to think that the patient is faking the pain and other symptoms, that it's "just psychological" or that it's just laziness. 

Não sou preguiçosa,
Eu tenho Fibromialgia.
O médico que me diagnosticou, por exemplo, bem que se esforçou para me ajudar. Mas prescreveu cortisona. No começo foi maravilhoso! A dor desapareceu. Fui empurrar de leve uma mesinha de cabeceira e ela deslizou pelo quarto. Me senti como o super-homem deve ter se sentido quando alguém retirou uma lasca de kriptonita verde que devia estar espetada em seu corpo. Minha força voltou! Mas ela tem efeitos colaterais muito ruins (aumento de peso é só um deles) e o corpo vai se acostumando com ela e é preciso aumentar cada vez mais a dosagem. Optamos por parar com esta abordagem. Outro médico que fui, um reumatologista conceituado, riu de mim e disse que "fibromialgia é dor muscular. Tome um relaxante muscular que passa" - sem receitar nenhum, claro!
The doctor who diagnosed me, for example, really tried hard to help. But he prescribed cortisone. At first it worked like a charm! The pain just vanished. I once tried to lightly push a side table in my bedroom and it slided through the room. I felt like superman would have felt if someone had removed a kryptonite chip from his body: My strength is back! But this med does have several bad side effects (weight gain being just one of them) and our body tends to get used to it and it becomes necessary to increase and increase the dosage. So we opted out of it. Another doctor I went to, a very well-known rheumathologist here, just laughed at me and said "fibromyalgia is nothing but muscular pain. Just take some muscle relaxant and you'll be fine" - without actually prescribing any, of course!

Na verdade o estudo da FM é levado tão a sério lá fora que há um departamento inteiro especializado em dor na Universidade de Stanford, dedicado a estudar isso. Chegaram a algumas conclusões, mas nada definitivo. Sabem que afeta o Sistema Nervoso Central e interfere no "desligamento" do reflexo da dor. Esse mecanismo é que impede a pessoa normal de ficar sentindo o que não precisa. Como, por exemplo, uma batida leve no braço que teve há duas semanas e já não importa mais ou o tecido da camisa raspando nas suas costas. 
Actually, Fibro should be taken so seriously that there is an entire department specialized in studying pain dedicated to it, at Stanford University. They came to some conclusions, but nothing is final yet. They do know it affects the CNS (Central Nervous System) and that it interferes in the "turning off" step of the pain reflexes. This mechanism is the same one that stops your body from feeling the pain from old bruises (they are gone, right?) or the pressure that your shirt is making against your back now.

Outras descobertas recentes incluem uma que as mitocôndrias - as verdadeiras fábricas de energia no nosso corpo - só producem 1/3 da energia em quem tem FM. Algo a ver com excesso de oxidantes. E os músculos, com isso, produzem muito mais ácido lático (aquele que faz os músculos doerem depois de voltar à academia depois de um mês de férias). E ainda há uma promessa de um exame laboratorial para detectar a Fibromialgia. Ainda não é conclusivo, mas se funcionar, ele definitivamente colocará a FM entre as doenças auto-imunes, onde o nosso próprio sistema imunológico é quem está nos atacando. Bom, né? :)
Some other recent discoveries include one that mitochondrias - the "energy factories" in our body - only make 1/3rd of the energy in Fibro patients. Something related to oxidants excess. And the muscles, as a consequence, produce way more lactic acid (which is what actually causes the pain you feel after intense physical exercises) than normal. And there is also the promise of a lab test to diagnose Fibro. It's still not conclusive, but if it works, it will definitely include Fibromyalgia among the auto-immune diseases for good - where our own immune system attacks us. Great! :)

Todos os medicamentos já testados até hoje costumam só funcionar em 30% dos pacientes, e só por algum tempo. Ainda não há respostas definitivas. 
All meds tested so far usually only work on 30% of the patients, and only for some time. There are no definite answers yet.

FATO: A Fibromialgia afeta aproximandamente 4% da
população mundial. Isto é cerca de 315.000.000
de pessoas que têm FM! Se quem sofre de FM
fosse reunido em um só lugar, este lugar seria o 4º maior
país do mundo!! FM é sério!!!
Divulgue a conscientização sobre a Fibromialgia!!!
Bem, sem querer dar muitos detalhes sobre os sintomas, se você conhece alguém que tem FM, pare de achar que é preguiça. Não é! Uma americana fez um vídeo sobre a sua mãe e a convivência da família com essa tal Fibromialgia. É muito esclarecedor, pois há muito desconhecimento sobre o assunto. Sabe como uma pessoa normal se sente depois de correr 3 horas? É assim que quem tem FM se sente depois de 3 minutos de qualquer atividade física... Sem contar o sono irregular, pertubações gastro-intestinais variadas, tem dias que as mãos e pés ficam meio dormentes, como se estivéssemos usando uma luva latex apertada e grossa, que diminui a sensibilidade. Aí a gente deixa tudo cair, é mais difícil trabalhar com as mãos. Nesses dias também fico mais distraída, com dificuldade de concentração, esqueço fácil. Chamam isso de "brain fog". Mas descobri que esses dias são ótimos para criar e planejar, pois a mente voa e acha soluções diferentes. :)
Well, without going too much into symptoms, if you know someone who has Fibro, please, stop thinking it's just laziness. It's not! An American woman produced a video about her mom and the family reaction towards this illness. Very enlightening! Do you know how a normal person feels after running for 3 hours? Well, this is how someone with Fibro feels after a 3-minute physical activity... There's also irregular sleep patterns, gastrointestinal dysfunctions (it varies from patient to patient), some numbness feelings on hands & feet, "brain fog", which is difficulty to focus or remember things, etc. On days I feel like that I discovered that it's useless to fight it, but I can use them to plan and create. Mind flies and finds unusual solutions. :)

Geralmente pessoas muito ativas que são "atingidas" (a sensação é bem essa) pela FM são forçadas a reduzir drasticamente seu ritmo e atividade. E isso é algo a que não estão acostumadas, pois costumam ser pessoas muito dinâmicas. E é aí que entra a depressão. Eu não tive, mas muita gente que tem. Não faz parte do quadro da FM, mas pode ser consequência. Uma atleta que percorria de bicicleta milhares de quilômetros todos os anos hoje está em uma cadeira de rodas... Imagine o impacto que esse tipo de mudança drástica causa no emocional de uma pessoa! A sensação que a gente tem é que alguém mexeu na "regulagem" da gravidade e ela ficou mais forte. Tudo fica mais pesado, mais denso, mais difícil.
Usually, when very active people are "struck" (that's the feeling!) by Fibro are forced to drastically slow down their normal routine, they tend to resist or suffer a lot by feeling impotent. That might lead them to depression, a common feature in Fibro patients. Fibro doesn't cause depression. I didn't have it. But it can be a consequence of the changes it causes in our lives. For example, an athlete who used to ride a bike for thousand miles every year all over the world was diagnosed with Fibro. She now is on wheelchair. Can you imagine how hard this is for her? I usually say that it feels like someone is messing with the "gravity knob", and everything feels heavier, denser and harder. 

Este pode ser você depois desta postagem, se conseguiu ler até aqui, rsrs... mas é como eu me sinto depois de alguma atividade física qualquer.
This could be you after reading this post, if you managed to read all the way up to this point... lol... but it's how I feel like after any kind of physical activity

Eu tenho meus truques para lidar com a FM, todos naturais. Só tomo um anti-inflamatório quando a coisa fica MUITO feia para meu lado, rsrs... 
  1. Aprender a reconhecer seus novos limites e respeite-os. Fazer pouco por fez. Descansar bem - uso técnicas de relaxamento, que aprendi com a yoga há anos atrás, nos músculos para eles poderem se "recuperar". Um bom banho quente também ajuda. 
  2. Meditação também ajuda muito.
  3. Reiki faz muito bem.
  4. Tenho tomado fitoterápicos, que alguns estudos indicam ser excelente para casos de câncer. Como costumam ter propriedades que beneficiam o sistema imunológico, resolvi testar, e funcionam bem.
  5. Massagem com óleo de alecrim (mulhers grávidas não podem!) alivia dores musculares intensas na hora. 
As I cannot count on a body of physicians & therapists to treat me, I have come up with my own strategy to deal with Fibro. I only take anti-inflammatory drugs when it gets really unbearable!
  1. Learn your new limits and respect them. Do just a little bit at a time. Get plenty of rest between activities - I even use relaxing techniques I learned from yoga years ago to relax my muscles, giving them time to "recover". A hot shower (or bath, if you have a tube) is also great.
  2. Meditation does help.
  3. Reiki is great!
  4. I've been testing some phytotherapy meds myself. That's ok, I have pharmacology AND holistic therapy background, so I know what I'm doing. I'm testing some that are used mainly for cancer, but as they also benefit our immune system, I decided to test. And they are helping as well
  5. Localized massage using rosemary essential oils (do NOT use on pregnant women!) relieves pains almost instantaneously. 
Bem, sei que foi uma postagem longa demais, mas espero ter ajudado a divulgar o assunto, tanto para quem tem FM quanto para quem convive com alguém que tem, seja no trabalho ou em casa. 
I know this has been a VERY long post, but I do hope I have helped spread the awareness on Fibromyalgia, both to those who suffer from it as for those who know someone who does, at work, in your family, or friend.


Fibromialgia
Eu não sei o que você quer

Mas um dia descobrirei como me curar de você.
E vou matar você.

:)
Quanto ao "bagunceliê", consegui terminar a "mudança" no atelie! :) Mas só vou mostrar as fotos depois que tiver tudo pronto, senão vocês só vão ver um monte de caixas fora do lugar, rsrs... Nas próximas postagens vou mostrar algumas partes que for concluíndo. Aí mostro fotos, mas vocês vão acabar vendo também as "novas" estantes pintadas...
As for my work room, I finished 'moving things around'! :) But I'll only show picutres of the room after it's all done. Or all you're going to see is a bunch of boxes all out of place and a big mess, lol! On my next posts I'll show some parts, as they are finished. Then there will be pictures, and you'll end up seeing some of the "new" storage shelves too...

Até a próxima postagem!
See you nex time!

.

13 comentários:

  1. Sorry about your fibro diagnosis, but I really like your organization project.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thanks John!

      I hope these ideas can inspire other miniaturists too. I'm not an organization freak, but I do realize that when everything is in order, our creative work flows much better! :)

      Excluir
  2. Hi dear Evelyn! I think it is ever so important that you wrote about this illness! It is very interesting to read, and surly it could help other people, too! yes, it i important to increase awarenes and let others know about it! I am sorry you have to deal with so many problems! It is good to read that you found a way of dealing with them. I also know the situation when doctors can't find reason for symptoms, or a cure. But that doesn;t mean that we give up!!!! :) Wishing you all the best from my heart!
    And..thanks for this "room-planning" link and info...that's VERY interesting, too! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HI Anna,
      Yes, that was the idea: help others. Both with the organization tips (like the "room planning" software and the info on Fibro.

      With Internet, we've come to an age when more often then not patients are better informed about their illnesses than most doctors. Sad, but at least we are in charge of our lives this way, right? ;)

      Excluir
  3. Hi Evelyn,

    Thank you for your post raising awareness about fibromyalgia. I also have been diagnosed and am dealing with the pain and fatigue that you describe. It is indeed very difficult. I have so many ideas about miniature projects that I want to do, but can only complete them at a snail's pace...actually, I think the snail goes faster! I have learned some valuable lessons from having this illness, but it is still a daily struggle. Again, thank you for sharing! (Love your minis, too!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kate, I'm so glad I could help! I do believe that the more we understand about it, better equipped we'll be to deal with it.

      The main reason I decided to tackle this huge re-organizing project was exactly to help me complete more mini-projects. When everything is in place, easy to reach, easy to put back after used, I can spend my (scarce, lol) energy on what really matters: creating minis! :)

      I hope you can find your own ways to deal with it. The same way as it manifests somehow differently on each individual, we must individually find whatever works best for us. If you could find a good holistic therapist near you, for Bach Florals, essential oils and some herbal medicine, I can assure you those tools can improve your life quality by leaps & bounds. Do not believe any quack (regular doctor or therapist) who promise you "the cure". There's way more to this illness than we know, so baby steps and loads of faith - that's the way to go! ;)

      Excluir
  4. É isso aí, menina! Dando um 'olé' nos impeditivos e 'avante' projetos!

    Fique bem.
    Que Deus te abençõe. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é o espírito da coisa! :)

      Obrigada amiga!

      Excluir
  5. lá Evelyne,
    Eu sei que seu atelier vai ser maravilhoso e funcional quando ele é feito! Continuem o bom trabalho.
    Minha tia e um grande amigo tem fibromialgia e eu sei que pode ser difícil algumas vezes. só tomar cuidado e tentar descansar quando yo preciso! Espero que tudo corra bem.
    Grande abraço,
    giac

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo apoio Giac!

      E espero que você esteja correto sobre o resultado final no atelier, lol!

      Excluir
  6. Já achei impressionante o progresso da organização antes de ver a parte que fala da FM. Depois, então... Você é mesmo uma guerreira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zilda, sabe que não me vejo assim? Minha forma de encarar a vida e seus "problemas" (o engraçado é que se alguém me pergunta se tenho problema, nunca consigo pensar em nenhum!) é que para mim, em vários aspectos, a vida é como um video-game: no começo é tudo bem facilzinho. Aí vc vai mudando de nível e os obstáculos e os desafios ficam maiores, mais elaborados. Às vezes vc é "derrotado", cai, "apanha", mas sempre tem uma nova chance de tentar de novo, recomeçar. E aí vai aprendendo a lidar com esses desafios. E o que parecia impossível antes vai ficando mais fácil de lidar, de ultrapassar... Aí vc muda para outro nível e começa tudo de novo, rsrs...

      Todo mundo tem seus "obstáculos" e desafios pessoais, mas o legal da vida é que os que aparecem para a gente, se a gente mantiver a calma, vai descobrir que são exatamente aqueles para os quais estamos capacitados a enfrentar! :)

      E no final a gente descobre que era muito mais forte e capaz do que jamais podia desconfiar.

      Então a "moral da história" é: a vida é como um jogo: não leve tudo tão a sério, mantenha a calma, lembre-se de respirar, descansar nos intervalos, use muito a cabeça e... divirta-se ao máximo! Pois dela a gente só leva as experiências e as emoções que viveu! ;)

      Excluir
    2. Esse último parágrafo me serviu direitinho, viu?
      Acho que você tem razão na comparação com video game. Parece mesmo, né?

      Excluir

Related

Related Posts Plugin Blogger...